Anjos Reagem à Polémica Do Hino Nacional No Moto Gp

Anjos Reagem à Polémica Do Hino Nacional No Moto Gp

A dupla alega problemas técnicos durante a actuação e vão mais longe: "Em 23 anos do projecto Anjos, nunca o nosso profissionalismo e patriotismo tinha sido colocado em causa"

Sérgio e Nelson Rosado recorreram às redes sociais para partilhar um esclarecimento oficial no qual respondem às duras críticas de que foram alvos depois da actuação do Hino Nacional na abertura da última prova de MotoGP realizada em Portimão no passado domingo.

Os irmãos começam por aclarar os pormenores da sua versão do hino: "A propósito deste dia [25 de abril] tão especial, gostaríamos de partilhar convosco a versão, Acappella de A Portuguesa, que o Maestro Pedro Faria Gomes escreveu para nós em 2002 (para uma interpretação especial com os Tetvocal) e com a direcção vocal do Maestro Paulo Lourenço, versão esta interpretada também perante a Selecção Nacional de Futebol e do Presidente da República Portuguesa, Dr. Jorge Sampaio". 

A dupla decidiu assim optar "por fazer esta mesma versão, mas desta vez apenas a duas vozes, sem efeitos".

"Infelizmente, a transmissão para Portugal (SportTv4) apenas mostrou metade do Hino Nacional (desconhecemos as razões, se por compromissos publicitários ou qualquer outra questão técnica), mas, realçamos que para o resto do Mundo a transmissão foi total", esclarecem.

Em seguida, referiram outros problemas técnicos que existiram na transmissão que levou a um mal-entendido que parecia mostrar que a dupla não sabia a letra do Hino Nacional.

"No entanto, verificámos ao ver as imagens que existiram problemas técnicos dos quais nós estamos completamente alheios, como por exemplo, durante toda a atuação existiu uma soma do som do exterior aos nossos microfones que causou uma ilusão fonética de palavras - como alegam que cantamos igreijos em vez de egrégios -, e na última parte da interpretação existiu um erro técnico tremendo, que se julga ter sido do BroadCast, no momento da transmissão Live, em que não foi retirado o áudio num plano de SlowMotion, onde mostrava o público do autódromo a sentir o Hino, isto em termos técnicos fez com que durante alguns segundos existisse uma duplicação do som em looping alterando o momento e o som real das nossas vozes", explicam. 

"Em 23 anos do projecto Anjos, nunca o nosso profissionalismo e patriotismo tinha sido colocado em causa, sempre fomos verdadeiros na música e vocês merecem que sejamos sinceros, obrigado pelo carinho de sempre, continuamos motivados para seguir esta caminhada convosco. Para os que não conheciam esta versão do hino, ficam aqui estas recordações de 2002 na RTP e 2006 no programa 'Só Visto'".

Tags: